Filme da GoDaddy para o Super Bowl é censurado pelo público

janeiro 28th, 2015 André Fantin

Em anos anteriores, a GoDaddy, empresa de registro de domínios, veiculou filmes que desagradaram ao público no intervalo do Super Bowl. Tentando não repetir o erro de estratégia dos anos anteriores, GoDaddy criou um filme fofo com final inesperado.

O problema é que, antes mesmo do filme ir para o ar, ele foi censurado pelo público. As reações negativas ao filme fizeram com que fosse retirado do canal da marca no YouTube. Particularmente, achei o filme sensacional e gostaria de vê-lo em um intervalo comercial.

 

Provocar emoções e gerar novas experiências sempre me pareceu o correto a se fazer em publicidade, mas parece que o público não quer mais surpresas. Pelas reações ao filme, essa geração Dora Aventureira espera que as marcas entreguem apenas finais felizes. Será que nos tornamos incapazes de rir de uma piada?

As pessoas estão confundindo o que é ficção e o que é realidade. Que depois daqueles 30″ segundos, as câmeras foram desligadas e tudo voltou ao normal na vida do cachorrinho. Enfim. Não quero ficar de mimimi sobre como o mundo está se tornando um lugar chato. Concluam vocês.

 

Postado por André

Estúdio de design cria brands inspirados em Pokémon

janeiro 28th, 2015 André Fantin

Pictogram é um estúdio de design de São Francisco especializado em design de interface. Fundado por um ex-funcionário da Apple, o estúdio decidiu transformar Pokémons em brands para promover os seus serviços.

Captura de Tela 2015-01-28 às 09.40.54 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.41.35 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.41.48 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.41.59 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.42.07 1 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.42.18 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.42.29 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.42.41 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.42.53 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.43.03 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.43.15 Captura de Tela 2015-01-28 às 09.43.31

Postado por André

Tendências criativas para o design em 2015

janeiro 27th, 2015 André Fantin

Com um acervo de mais de 47 milhões de imagens e usuários pelo mundo todo, o Shutterstock consegue, através das pesquisas feitas em seu site, determinar os temas mais baixados e assim, precisar, a tendência que o mundo está seguindo.

Com o resultado da pesquisa em mãos, é possível compreender o comportamento do mundo através do design e definir quais serão as tendências para o ano. Confira.

Portuguese hi-res

Postado por André

20 formas de se conversar com uma criança

janeiro 23rd, 2015 André Fantin

Você que é pai, mãe, tio, tia ou simplesmente convive com uma criança já deve ter percebido como é difícil iniciar uma conversa com os pequenos. Não é só pela diferença de gerações que as crianças não nos dão muita bola. A nossa incapacidade de dialogar com eles é exclusivamente nossa culpa.

Enquanto adultos, estamos acostumados a ter diálogos diretos com outros adultos e, dependendo da pergunta, um diálogo direto com uma criança nem sempre é bem recebido. Aquela simples pergunta “como foi na escola hoje?” que utilizamos praticamente como um protocolo social para demonstrar interesse em ouvir a criança sempre rende um quase inaudível “foi legal”. E como bons adultos que somos, sempre acreditamos que a criança é tímida ou tem dificuldade de se expressar, como se o problema estivesse na resposta e não na pergunta.

Lembro de ser criança e ouvir de diferentes pessoas as mesmas ladainhas, “nossa, como você cresceu”. Como se o fato de passarmos dois anos sem nos vermos fosse incapaz de mudar alguma coisa em um ser humano em pleno desenvolvimento físico.

Claro que estes dois exemplos são apenas 1 dentro mil. Hoje, eu enxergo crianças como verdadeiros mini-adultos em toda sua complexidade de sentimentos. Variam os assuntos, claro, mas o interesse por eles e a disposição para conversar sobre o que consideram importantes são as mesmas das nossas.

Se “foi legal” fosse algum reflexo de falta de personalidade da criança, elas não conversariam entre si, não é verdade?

Então, senhores adultos, tratem de saber como despertar o verdadeiro diálogo com uma criança. Abaixo, segue uma lista criada pelo UoD como alternativa para a pergunta mais chata de todas: Como foi na escola hoje?

#1.  Qual foi a coisa mais legal* que aconteceu hoje na escola? (*bizarra, *chata, *barulhenta, *etc)

#2.  Conta aí uma coisa que fez você dar risada hoje.

#3.  Se você pudesse escolher, quem você colocava sentado ao seu lado? Por que? (ou jamais colocaria do seu lado?)

#4.  Qual é o lugar mais descolado da escola?

#5.  Qual foi a maior absurdíce que você ouviu alguém falando hoje? (sim, pode inventar umas palavras)

#6.  Se eu encontrasse com a sua professora no supermercado e perguntasse sobre você, o que será que ela ia dizer?

#7.  Você ajudou alguém hoje?

#8.  Se a gente fosse fazer um video dos Vingadores na sua classe, quem a gente colocava como o Hulk? (e vai mudando o personagem)

#9.  Me ensina alguma coisa que te ensinaram hoje? ( e vai dando de burrão, vai falando “como assim?”, “que demais! Me explica melhor vai”, etc)

(essa sempre foi minha preferida. Acho que até hoje meu filho me acha o maior ignorante do mundo)

#10.  Qual foi a parte mais bacana do dia, que você ficou mais feliz?

#11.  Teve alguma hora que você virou uma gelatina de tanto tédio?

#12.  Se aparecesse um disco voador para sequestrar alguém, pra quem você apontava?

#13.  Com quem você gostaria de brincar no recreio mas nunca brincou?

#14.  Me conta uma coisa bem bem boa que aconteceu hoje.

#15.  Qual você acha que é a palavra preferida da sua professora? Uma que ela vive falando?

#16.  Se você ganhasse a escola de presente e virasse o dono de tudo, o que você faria?

#17.  E o que você ia cancelar do que tem hoje? tem alguma coisa?

#18.  Quem é a pessoa mais engraçada da sua classe? Me conta uma palhaçada que ela fez hoje.

#19. Se você fosse convidado para ser o professor amanhã, durante o dia inteiro, o que você faria?

#20. De todos os que estão lá dentro do seu estojo, quem é que trabalha mais? Por quê?

 

Postado por André